Cais dourado

Imagem de José Barbosa da Silva

Poema de José Barbosa da Silva



É ligeiro o carioca
Quando sabe pontear
Do seu pinho faz viola
E decide sem parar

Quer no samba ou desafio
Embolada ou batucada
Na mandinga e no coco
Vai até a madrugada

No cateretê falado
E no jongo disputado
Dentro do Brasil inteiro
Carioca é o primeiro

Se consagro a Bahia
É porque tem seu valor
É a terra da folia
Onde lá fui cantador

No falado Cais Dourado
Onde o samba tem calor
Geme o gunga no bailado
Descrevendo a minha dor

Bem no fundo do tan tan
Ouço o grito da canaia
Numa fuga de fandango
Da baiana de sandália



Fonte: "107 partituras de Sinhô", Instituto Piano Brasileiro, 2017.
Originalmente publicado em: 78-RPM Victor 33211, 1929.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.