*

Imagem de Francisco de Paula Brito

Poema de Francisco de Paula Brito



O puro amor nascido da amizade,
Quando intenso domina o peito humano,
É mil vezes mais forte, é mais tirano
Do que aquele a quem gera a novidade;

Estudando tia prática a verdade,
Não teme os males que produz o engano;
Sem que o combata da incerteza o dano,
Entrega-se aos impulsos da vontade!

Não é assim aquele cuja chama
Nasce da vista num feliz momento,
Pois menos dura quanto mais se inflama!

Oh! gostosa ilusão do pensamento!..
Feliz quem sofre a dor!.. feliz quem ama,
Embora seja eterno o sofrimento!



Fonte: "Poesias", Tipografia Paula Brito, 1863.
Originalmente publicado em: "Livrinho das moças", 1856.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.