Mascarada

Imagem de Manuel Bandeira

Poema de Manuel Bandeira



- Você me conhece?
- Não conheço não.
- Ah como fui bela!
Tive grandes olhos
Que a paixão dos homens
(Estranha paixão!)
Fazia maiores,
Fazia infinitos...
Diz: não me conheces?
- Não conheço não.

- Se eu falava, um mundo
irreal se abria
À tua visão!
Tu não me escutavas:
Perdido ficavas
Na noite sem fundo
Do que eu te dizia...
Era a minha fala
Canto e persuasão...
Pois não me conheces?
- Não conheço não.

- Chorastes em meus braços...
- Não me lembro não.
- Por mim quantas vezes
O sono perdeste
E ciúmes atrozes
Te despedaçaram!

Por mim quantas vezes
Quase tu mataste,
Quase te mataste,
Quase te mataram!
Agora me fitas
E não me conheces?...
- Não conheço não.
Conheço é que a vida
É sonho, ilusão.
Conheço é que a vida,
A vida é traição.



Fonte: "Antologia Poética", Editora Nova Fronteira, 2001.
Originalmente publicado em: "Estrela da Tarde", 1963.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.