Pantum


Poema de Carmen Freire



Tamanha força o teu olhar encerra
Que a história inteira de um passado triste,
Mal os teus olhos encontrei na terra,
       Já não existe.

Que a história inteira de um passado triste,
Que eu julgava imortal antes de ver-te,
       Já não existe,
Apenas hoje em gozo se converte.

Que eu julgava imortal antes de ver-te,
O pranto que a memória guarda a um canto,
E apenas hoje em gozo se converte
       O antigo pranto.

O pranto que a memória guarda a um canto
Como o orvalho da flor que o sol absorve,
       O antigo pranto,
Fonte que as fontes d'alma ávido sorve;

Como o orvalho da flor que o sol absorve,
Tal a luz dos teus olhos, encantada,
Fonte que as fontes d'alma ávido sorve,
       Tornou-se nada.

Tal a luz dos teus olhos, encantada,
Meu coração abriu-se, que tu viste
       Tornou-se nada
A história inteira de um passado triste.



Fonte: "Visões e Sombras", Casa Mont'alverne, 1897.
Originalmente publicado em: "Visões e Sombras", Casa Mont'alverne, 1897.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.