*


Poema de Ildefonsa Laura César


Na dura ausência de um Bem,
Triste, opresso e consumido,
Nem para alívio me basta
Ao som da lira um gemido.

Tem Marília um lindo peito,
Mas qual pedra endurecido!
Nenhuma emoção lhe causa
Ao som da lira um gemido.

Meu mal recresce! Que angústia
Não ser de Marília ouvido!
Arquejando apenas solto
Ao som da lira um gemido.

Nos apuros da saudade,
Nos delírios do sentido,
A vida exalo, exalando
Ao som da lira um gemido



Fonte: "Ensaios Poéticos", Tipografia Epifânio J. Pedroza, 1844.
Originalmente publicado em: "Ensaios Poéticos", Tipografia Epifânio J. Pedroza, 1844.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.