*


Poema de Ildefonsa Laura César



De Febo à nova carreira
Tudo se anima contente!
Só eu, na saudade envolta,
Sou a tudo indiferente.

Uns as janelas abrindo,
Outros seu Bem afagando,
São do que eu mais ditosos,
Seu amor saboreando.

Vã Fortuna! O teu capricho
Porque só a uns adita?
Porque só eu nesta vida
Hei de sempre ser aflita?



Fonte: "Ensaios Poéticos", Tipografia Epifânio J. Pedroza, 1844.
Originalmente publicado em: "Ensaios Poéticos", Tipografia Epifânio J. Pedroza, 1844.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.