Canção roceira

Imagem de José Barbosa da Silva

Poema de José Barbosa da Silva



Como é sublime ver-se
Na roça a brincadeira
Se forma o Samba
Vê-se a roceira como é ligeira

No seu sapatear
E no seu requebrar
Faz muita gente de cabeça
Andar no ar

Os versos no baião
Que ele vem tirar
Mexem com a alma
De quem vai apreciar

E lá na roça tem
E lá na roça tem
Casinha de sapê
Pra você morar com seu bem



Fonte: "107 partituras de Sinhô", Instituto Piano Brasileiro, 2017.
Originalmente publicado em: Casa Beethoven - Nascimento Silva & Cia., sem nº ch, 1920.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.