*


Poema de Ildefonsa Laura César


     Fugir de Cupido
     Eu quis e não pude.
     Quem julga escapar-lhe
     Se engana, se ilude.

Contra seu pode não vale
A mais engenhosa trama.
Ocultar jamais eu posso
Quanto meu coração ama.

     Fugir de Cupido
     Eu quis e não pude.
     Quem julga escapar-lhe
     Se engana, se ilude.



Fonte: "Ensaios Poéticos", Tipografia Epifânio J. Pedroza, 1844.
Originalmente publicado em: "Ensaios Poéticos", Tipografia Epifânio J. Pedroza, 1844.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.