*


Poema de Ildefonsa Laura César



Ah! se longe de ti viver pudesse,
Morada de aflição, de mil desgostos,
Da morte, sem cessar, pregoadora,
Os melhores momentos enlutando
Dos que, às vezes bem poucos, nos contentam,
Ah! de ti, sem pesar, eu me apartaria
E para os ledos, sossegados campos,
Das discórdias e do tumulto isentos,
Levaria os dias meus, meus tristes dias!
Tanta ventura não me outorga a Sorte
Que me afasta de tudo que me alegra!
Mal haja tais revezes desta vida
Que a sofrê-los me falta a paciência.



Fonte: "Ensaios Poéticos", Tipografia Epifânio J. Pedroza, 1844.
Originalmente publicado em: "Ensaios Poéticos", Tipografia Epifânio J. Pedroza, 1844.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.