Samba de nego


Poema de Pixinguinha e Cícero de Almeida


Samba de nego
não se pode frequentar.
Só tem cachaça
pra gente se embriagar.

Em fui num samba
em casa de mãe Inês.
No melhor da festa
fomos todos pro xadrez.

No fim do samba
minha cabocla chegou.
Virei os olhos
e meu santo me pegou.

Cai de lado,
vim de frente, vim de banda.
Meu santo disse
que eu vinha lá de aruanda.



Fonte: "Acervo Digital Pixinguinha", 2023.
Originalmente publicado em: disco Odeon 10.111-B, 1928.

Comentários