Regret

Imagem de Júlia Cortines

Poema de Júlia Cortines



Está findo o combate. Eu venci e, contudo,
Vencedora eu me sinto igualmente vencida...
Cada gesto me traz um sofrimento agudo,
Dá-me em meio do peito uma larga ferida.

E com que intrepidez, com que audácia e energia,
Não me lancei da vida à aspérrima batalha!
Nem me atemorizou a boca que rugia,
Nem o brilho da espada e o estrondo da metralha.

Para no alto plantar, ufana, aos quatro ventos,
Desfraldada a bandeira ofuscante da Glória,
Galguei por entre o fumo, e as pragas, e os lamentos
A estrada que conduz ao cimo da vitória.

E venci. E, contudo, eu me sinto vencida...
Antes ser como quem à fraqueza se entrega,
E rolar pelo solo à primeira investida,
E morrer à explosão da primeira refrega!



Fonte: "Versos; Vibrações", Academia Brasileira de Letras, 2010.
Originalmente publicado em: Jornal O Globo, pós-1948.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.