*

Imagem de Mário de Andrade

Poema de Mário de Andrade (trecho)



Se o teu perfil é puríssimo, se os teus lábios
São crianças que se esvaecem no leite,
Se é pueril o teu olhar que não reflete por detrás,
Se te inclinas e a sombra caminha na direção do futuro:

Eu sei que tu sabes o que eu nem sei se tu sabes,
Em ti se resume a perversa e imaculada correria dos fatos,
És grande por demais para que sejas só felicidade!
És tudo o que eu aceito que me sejas
Só pra que o sono passe, e me acordares
Com a aurora incalculavelmente mansa do sorriso.



Fonte: "Poesia completa", Editora Itatiaia, 1987.
Originalmente publicado em: "Poesias", 1941.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.