*

Imagem de Silva Alvarenga

Poema de Silva Alvarenga



Mostras-me, ó Glaura, a bela raridade
De três conchas formosas;
Mas eu te mostrarei da nossa idade
Três maravilhas raras e extremosas.
Não são metais, nem pedras preciosas,
Nem flores que produz a natureza
São a tua beleza, os teus rigores
E os desgraçados meus fieis amores.



Fonte: "Obras Poéticas", B. L. Irmãos Garnier, 1864.
Originalmente publicado em: "Glaura: poemas eróticos", Officina Nunesiana, 1799.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.