*

Imagem de Silva Alvarenga

Poema de Silva Alvarenga



Ao longe a bela Glaura me aparece;
Não sei que resplendor nos ares vejo!
O coração, a língua desfalece,
Entre suspiros voa o meu desejo!
Em vão, em vão forcejo:
Piedade, amor, socorro;
Que de prazer e de ternura morro!
E se este puro efeito ao longe sinto,
Ao perto... ó céus! que imagens n'alma pinto!



Fonte: "Obras Poéticas", B. L. Irmãos Garnier, 1864.
Originalmente publicado em: "Glaura: poemas eróticos", Officina Nunesiana, 1799.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.