Discrição

Imagem Henriqueta Lisboa

Poema de Henriqueta Lisboa



Enquanto, ao som metálico e isócrono das orquestras,
os outros convivas se exacerbavam,
sôfregos da libação de esquisitos licores
em frascos que eram espirais de fogo,

alguém,
que trazia no canto dos lábios certo ar de desprezo
e se recostara à janela para respirar o ar fresco,
ergueu delicadamente a mão
e colheu, da videira referta,
um bago de uva
umedecido pela orvalhada noturna.



Fonte: "Obra completa", Editora Peirópolis, 2020.
Originalmente publicado em: "Velário", Editora Belo Horizote, 1936.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.