Preterido

Imagem de Zalina Rolim

Poema de Zalina Rolim



Vi-a envolvida em longo véu flutuante
Aos pés do altar se ajoelhar sorrindo;
Pairava-lhe o fulgor de um gozo infindo
Na lirial brancura do semblante.

E no meu peito o espinho excruciante
De mágoa atroz e imensa dor sentindo,
Vi-a - sim - murmurar, bela e triunfante,
Os coralinos lábios entre-abrindo...

Passou-se o tempo... E a placidez e a calma,
Murcha a esperança, a aspiração perdida,
Vieram de novo acariciar minha alma.

Mas como densa névoa, eternamente.
Velou-me o riso e a luz da minha vida
Aquele véu nevado e transparente...



Fonte: "O Coração", Tipografia Hennies & Winiger, 1893.
Originalmente publicado em: "O Coração", Tipografia Hennies & Winiger, 1893.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.