Gozo pungente

Imagem de Zalina Rolim

Poema de Zalina Rolim



Eu não sei se o detesto ou se o adoro,
Não sei se é isto amor ou se é loucura:
Junto dele eu não vejo a noite escura,
Se ele foge de mim definho e choro.

Quero afastar-me - e o seu olhar imploro.
Falar-lhe tento - e minha voz murmura;
Se ele, sorrindo, os olhos meus procura,
Inclino a fronte e estremecendo coro...

Como é pungente e dura esta incerteza!...
Mas a curar-me a dor desta agonia,
Que tem laivos de riso e de tristeza,

Quantas vezes, meu Deus, preferiria
Viver cativa, eternamente presa
Deste mal que me fere e acaricia!..



Fonte: "O Coração", Tipografia Hennies & Winiger, 1893.
Originalmente publicado em: "O Coração", Tipografia Hennies & Winiger, 1893.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.