A folha do Salgueiro

Imagem de Machado de Assis

Poema de Machado de Assis


Amo aquela formosa e terna moça
Que, à janela encostada, arfa e suspira;
Não porque tem do largo rio à margem
      Casa faustosa e bela.

Amo-a porque deixou das mãos mimosas
Verde folha cair nas águas mansas.

Amo a brisa de leste que sussurra,
Não porque traz nas asas delicadas
O perfume dos verde pessegueiros
      Da oriental montanha.

Amo-a porque impeliu com as tênues asas
Ao meu batel a abandonada folha.

Se amo a mimosa folha aqui trazida,
Não é porque me lembre à alma e aos olhos
A renascente, a amável primavera,
      Pompa e vigor dos vales.

Amo a folha por ver-lhe um nome escrito,
Escrito, sim, por ela, e esse... é meu nome.



Fonte: "Poesias Completas", Livraria Garnier Irmãos, 1902.
Originalmente publicado em: "Falenas", Livraria Garnier Irmãos, 1870.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.