Uma enorme rês deitada

Imagem de João Cabral de Melo Neto

Poema de João Cabral de Melo Neto



Quando te viajei tão de perto
nada vi em ti, Chimborazo,
que ensine o falar dó-de-peito,
pré-microfones, deputado.

Assim de perto parecias
uma rês enorme e sem cabeça,
só capaz de ensinar silêncio
ou sono, o de que já cabeça.

Tão sem discurso como a pedra
é tua monstruosa ovelha
que para remoer o silêncio
no mais alto dos Andes deita.



Fonte: "A educação pela pedra e depois", Editora Nova Fronteira, 1997.
Originalmente publicado em: "Agrestes", 1985.

Comentários