A um sujeito que lhe mandou um peru cego e doente

Imagem de Gregório de Matos

Poema de Gregório de Matos



Mandou-me o filho da pu -
um peru cego e doente,
cuidando que no presente
mandava todo o Peru:
alimpei com ele o cu
e o botei na onda grata,
mas é tal o patarata
e o seu louco desvario,
que vendo o peru no rio,
diz que é o Rio da Prata.



Fonte: "Obra Poética", Editora Record, 1992.
Originalmente publicado em códices da segunda metade do século XVII.


Comentários