Compreensão

Imagem da poeta Jacinta Passos

Poema de Jacinta Passos



As minhas mãos docemente pousaram em tua fronte.
Esquecida
de todas as dores do mundo, do mal profundo da vida,
tua cabeça em meu regaço adormeceu.
Adormeceu como um pássaro cansado,
errante passarinho
que vagou por céus longínquos em meio de tormentas bravias
e encontrou, afinal, a doçura de um ninho.
Nesse instante, as minhas mãos compreenderam
por que foram feitas tão leves e macias.



Fonte: "Jacinta Passos, coração militante", Editora EDUFBA, 2010.
Originalmente publicado em: "Nossos Poemas", Editora Bahiana, 1942.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.