Um Pedaço de Céu

Imagem de Júlia Cortines

Poema de Júlia Cortines



O horizonte rasgado; a serra escura
Esbate-se nas flamas; a janela
Abre-se em amplo quadro que emoldura
Essa soberba e luminosa tela.

A nuvem, que arde ao sol, se transfigura,
E ao longe, em largas cintas, a amarela
Luz do Ocaso se encontra, e brune a bela
Curva ideal da célica planura...

Vão descrevendo sinuosas linhas
Na luz, que cortam, leves andorinhas,
Apressuradas e a sumir-se em bando

No azul do céu, que súbito esmorece,
Enquanto Vênus, trêmula, aparece,
A violácea curva ponteando...



Fonte: "Versos; Vibrações", Academia Brasileira de Letras, 2010.
Originalmente publicado em: "Versos", Tipografia Leuzinger, 1894.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.