*


Poema de Fernando Pessoa


Nem o bem nem o mal define o mundo.
Alheio ao bem e ao mal, do céu profundo
Suposto, o Fado que chamamos Deus
Rege nem bem nem mal a terra e os céus.

Rimos, choramos através da vida.
Uma coisa é uma cara contraída
E a outra uma água com um leve sal.
E o Fado fada alheio ao bem e ao mal.



Fonte: 'Obra Poética', décima edição, Editora Nova Fronteira, 2001.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.