Trechos de Tempo-Morte

Imagem de Hilda Hilst

Poema de Hilda Hilst



I

Corroendo
As grandes escadas
Da minha alma.
Água. Como te chamas?
Tempo.

Vívida antes
Revestida de laca
Minha alma tosca
Se desfazendo.
Como te chamas?
Tempo.

Águas corroendo
Caras, coração
Todas as cordas do sentimento
Como te chamas?
Tempo.

Irreconhecível
Me procuro lenta
Nos teus escuros.
Como te chamas, breu?
Tempo.

II

Passará
Tem passado
Passa com a sua fina faca.

Tem nome de ninguém.
Não faz ruído. Não fala.
Mas passa com a sua fina faca.
Fecha feridas. É unguento.
Mas pode abrir a tua mágoa

Com a sua fina faca.

Estanca ventura e voz
Silêncio e desventura.
Imóvel
Garrote
Algoz

No corpo da tua água passará
Tem passado
Passa com a sua fina faca.



Fonte: "Da Poesia", Editora Companhia das Letras, 2017.
Originalmente publicado em: "Da morte. Odes mínimas," Massao Ohno e Roswitha Kempf
Editores, 1980.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.