À tua frente, em vaidade

Imagem de Hilda Hilst

Poema de Hilda Hilst



I
E se eu ficasse eterna?
Demonstrável
Axioma de pedra.

II
Se me alongasse
Como as palmeiras
E em leque te fechasse?

III
E crivada de hera?
Mas só pensada
Em matemática pura.

IV
E lívida 
Em organdi
Entre os escombros?
Indefinível como criatura.
Eternamente viva.

V
E te abrindo ao meio
Como as carrancas
Na proa das barcas?

Pesada como a anta
Te espremendo.
Guano sobre a tua cara.



Fonte: "Da Poesia", Editora Companhia das Letras, 2017.
Originalmente publicado em: "Da morte. Odes mínimas," Massao Ohno e Roswitha Kempf
Editores, 1980.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.