*

Imagem de Hilda Hilst

Poema de Hilda Hilst



Debruça-te sobre a tua casa e a tua mulher
E pergunta no mais fundo de ti, no teu abismo,
Se é maior teu espaço de amor, ou maiores
Que o céu esses rigores, a ti te proibindo
Tua amiga incorporada ao teu próprio destino.
Do máximo e do mínimo e a meu favor
(Não me louvando a mim o raciocínio)
Ressurgiria um conceito didático, exemplar:
De que não cabe medida se se trata
Dessa coisa incontida que é o amor.
O coração amante se dilata. O preconceito?
Um punhado de sal num mar de águas.



Fonte: "Da Poesia", Editora Companhia das Letras, 2017.
Originalmente publicado em: "Júbilo, memória, noviciado da paixão," Massao Ohno, 1974.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.