Meu povo, meu abismo

Imagem de Ferreira Gullar

Poema de Ferreira Gullar



Meu povo é meu abismo.
Nele me perco:
a sua tanta dor me deixa
surdo e cego.

Meu povo é meu castigo
meu flagelo:
seu desamparo,
meu erro.

Meu povo é meu destino
meu futuro:
se ele não vira em mim
veneno ou canto –
                  apenas morro.



Fonte: "Coleção Melhores Poemas", Editora Leya, 2012.
Originalmente publicado em: "Barulhos", 1987.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.