Fim de feira

Imagem de Carlos Drummond de Andrade

Poema de Carlos Drummond de Andrade



No hipermercado aberto de detritos,
ao barulhar de caixotes em pressa de suor,
mulheres negras e crianças rápidas
catam a maior laranja podre, a mais bela
batata refugada, juntam no passeio
seu estoque de riquezas, entre risos e gritos.



Fonte: "As Impurezas do Branco", José Olympio Editora, 1973.
Originalmente publicado em: "As Impurezas do Branco", 1973.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.