*


Poema de Fernando Pessoa



Da lâmpada noturna
A chama estremece
E o quarto alto ondeia.

Os deuses concedem
Aos seus calmos crentes
Que nunca lhes trema
A chama da vida
Perturbando o aspecto
Do que está em roda,
Mas firme e esguiada
Como preciosa
E antiga pedra,
Guarde a sua calma
Beleza contínua.



Fonte: 'Obra Poética', décima edição, Editora Nova Fronteira, 2001.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.