*

Imagem de Hilda Hilst

Poema de Hilda Hilst



O teu gesto de alegria
nunca será para mim.

O teu conflito noturno
este sim
pousará na minha face.

Existe sempre o mar
sepultando pássaros
renovando soluços
rompendo gestos.
Existe sempre uma partida
começando em ti
tomando forma
e sumindo contigo.

Existe sempre um amigo perdido
um encontro desfeito
e ameaços de pranto na retina.

Existe um canto de glória
iniciado nunca
mas guardado no meu peito
dissolvendo a memória.

E além da canção incontida
do teu amor ausente
além da irrevelada amargura
desta espera
existe sempre a terra
desfazendo
as vontades primeiras de Existir.



Fonte: "Da Poesia", Editora Companhia das Letras, 2017.
Originalmente publicado em: "Presságio", Revista dos Tribunais, 1950.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.