Motivos de bianco

Imagem de Carlos Drummond de Andrade

Poema de Carlos Drummond de Andrade



Melodiosas mulheres movem-se
libertas da corrupção do vestido
e, como jangadas ou feixes de trigo,
são variações da concretude
tamisadas de sonho,
forma plena, bastante,
sob a luz que esmerilha
a pelúcia das coisas.

O mar invade o quadro,
a sala,
o contemplante,
num fulgor de balanço,
e entre os raios da rede ilumina-se
e dança
o negro cavernante
da água ou de nós mesmos, em marulho.

Sobre os infindos olhos esféricos do boi-
bumbá
- lanternões acesos na alegria religiosa
do povo menino
do Brasil -:
festa
folia
flauta
coração da terra.

Assim Bianco, viajando
a cor e seus compartimentos encantados,
registra o ofício de homens e mulheres
jangidos à natureza por uma chispa
de ouro, um cipó
telúrico, uma semente
de amor explodindo em cântico.



Fonte: "As Impurezas do Branco", José Olympio Editora, 1973.
Originalmente publicado em: "As Impurezas do Branco", 1973.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.