VIII

Imagem de João Cabral de Melo Neto

Poema de João Cabral de Melo Neto



Cultivar o deserto
como um pomar às avessas.

(A árvore destila
a terra, gota a gota;
a terra completa
cai, fruto!)

Enquanto na ordem
de outro pomar
a atenção destila
palavras maduras.)

Cultivar o deserto
como um pomar às avessas:

então, nada mais
destila; evapora;
onde foi maçã
resta uma fome;

onde foi palavra
(potros ou touros
contidos) resta a severa
forma do vazio.



Fonte: "Serial e antes", Editora Nova Fronteira, 1997.
Originalmente publicado em: "Psicologia da composição", 1947.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.