Pingentes de citrino

Imagem de Adélia Prado

Poema de Adélia Prado



Tão lírica minha vida,
difícil perceber onde sofri.
Depois de décadas de reprimido desejo,
furei as orelhas.
Miúdos como grãos de arroz,
brinquinhos de pouco brilho
me tornam mais bondosa.
Fora minhas irmãs,
que também pagam imposto
ao mesmo comedimento,
quase ninguém notou.
Fiquei mais corajosa,
igual a mulheres que julgava levianas
e eram só mais humildes.



Fonte: "Poesia Reunida", Editora Record, 2015.
Originalmente publicado em: "Miserere", Editora Record, 2013.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.