O menino e o córrego (trechos)

Imagem de Manoel de Barros

Poema de Manoel de Barros



I

A água
é madura.
Com pena de garça.
Na areia tem raiz
de peixes e de árvores.

Meu córrego é de sofrer pedras
Mas quem beijar seu corpo
é brisas...


III

No chão da água
luava um pássaro
por sobre espumas
de haver estrelas.

A água escorria
por entre as pedras
um chão sabendo
a aroma de ninhos.


IV

Ai
que transparente
aos voos
está o córrego!
E usado
de murmúrios...



Fonte: "Poesia Completa", Editora Leya, 2010.
Originalmente publicado em: "Compêndio para uso dos pássaros", 1960.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.