Anamnese

Imagem de Adélia Prado

Poema de Adélia Prado



Na hora mais calma do dia
o frango assustado
atravessou o terreiro
em desabalado viés.
Era carijó,
minha mãe era viva,
eu era muito pequena.
Sem palavra para o despropósito
ela falou:
frango mais bobo.
Comecei a chorar,
era como estar sem calcinhas.



Fonte: "Poesia Reunida", Editora Record, 2015.
Originalmente publicado em: "Oráculos de maio", Editora Siciliano, 1999.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.