Valor

Imagem Henriqueta Lisboa

Poema de Henriqueta Lisboa



Eu quero a vida mais cálida,
mais incisiva, mais densa,
para um esforço maior.

Quero a realidade lúcida
de provações e misérias
para então me engrandecer.

Quero o veneno das áspides,
a vertigem dos abismos,
para me purificar.

Quero um tumulto de máscaras
nos labirintos da treva,
para ver claro o meu ser.

Quero as tempestades lívidas
em que me perca no oceano,
para mais longe me achar.

Quero nas plagas anônimas
deixar marca de meus joelhos,
para subir ao Tabor.

Quero acender minha lâmpada
nas profundezas da terra,
para os céus iluminar. 



Fonte: "Obra completa", Editora Peirópolis, 2020.
Originalmente publicado em: "Velário", Editora Belo Horizote, 1936.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.