*

Imagem de Ferreira Gullar

Poema de Ferreira Gullar



O mito nos apura
em seus cristais.

Os ventos que enterramos
não nos deixam.
Estão nos castigando
com seu escuro fogo.

A altura em que queimamos
o sono
estabelece o nosso inferno
e as nossas armas.



Fonte: "Coleção Melhores Poemas", Editora Leya, 2012.
Originalmente publicado em: "A luta corporal", 1954.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.