O deus mal informado

Imagem de Carlos Drummond de Andrade

Poema de Carlos Drummond de Andrade



No caminho onde pisou um deus
há tanto tempo que o tempo não lembra
resta o sonho dos pés
                         sem peso
                         sem desenho.

Quem passe ali, na fração de segundo,
em deus se erige, insciente, deus faminto,
saudoso de existência.

Vai seguindo em demanda de seu rastro,
é um tremor radioso, uma opulência
de impossíveis, casulos do possível.

Mas a estrada se parte, se milparte,
a seta não aponta
destino algum, e o traço ausente
ao homem torna homem, novamente.



Fonte: "Antologia Poética", Editora Record, 2001.
Originalmente publicado em: "Boitempo e A falta que ama", Editora Sabiá, 1968.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.