Canção de vidro

Imagem de Mário Quintana

Poema de Mario Quintana



E nada vibrou...
Não se ouviu nada...
Nada...

Mas o cristal nunca mais deu o mesmo som.

Cala, amigo...
Cuidado, amiga...
Uma palavra só
Pode tudo perder para sempre...

E é tão puro o silêncio agora!



Fonte: "Poesia Completa", Editora Nova Aguilar, 2006.
Originalmente publicado em: "Canções", 1946.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.